segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Impressões da Profª CARLA MARIA BARBOSA DANTAS - aluna da 2ª turma do curso Técnicas de Yoga na Educação - 2010


 


Durante as discussões sobre a diversidade e de como o Yoga e a educação estão unidos na tarefa de ampliar as capacidades e superar as dificuldades na sala de aula, compreendi que a escola precisa encontrar caminhos que reconheçam os saberes e fazeres das crianças. Reconhecer cada um na sua individualidade e também como parte de um grupo. E nesse aspecto é imprescindível agir com cautela, amor e conhecimento.
Ao iniciar a leitura do livro de Micheline Flak - Yoga na Educação - Integrando corpo e mente na sala de aula, uma fala de Swami Sivananda nos diz " Yoga é um sistema integral de educação, não apenas do corpo e da mente ou do intelecto. O Yoga educa e desenvolve a pessoa inteira - a cabeça, o corpo e o coração."    E  foi  a partir dessa busca na minha prática com as crianças, desenvolvendo atividades de Leitura, Escrita, Matemática, Ciências... no dia-a-dia que eu percebia a importância do Yoga como um elo nessa união entre  o corpo, o convívio e a linguagem.
O curso do RYE fundamentou a minha concepção de que o Yoga na escola pode ser entendido nos tempos atuais como uma tecnologia milenar que nos orienta, pois proporciona situações de  viver junto, consciência corporal, desenvolvimento da criatividade e nesse aspecto o corpo e o mental implicados na aprendizagem. Patanjali nos diz que o corpo e o mental são manifestações de uma energia que vai do denso ao sutil. " O desbravamento de nossas potencialidades se faz por etapas cuidadosamente programadas. A trajetória nos leva de maneira imperceptível mas segura, de fora para dentro, da mesma forma que a espiral do caracol"  ( Yoga na Educação pág 19).
E ainda discorrendo sobre os sentidos um dos textos do curso afirma : "Os sentidos humanos estão ligados  a determinados receptores sensoriais, altamente especializados, capazes de capturar estímulos diversos. Tais receptores  são formados por células  nervosas capazes de converter esses estímulos em impulsos elétricos que serão processados  em centros específicos do sistema nervoso central (SNC), onde será produzida uma resposta (voluntária ou involuntária)" Portanto educar os sentidos das crianças é algo de suma importância para a aprendizagem. O Yoga desenvolve tanto a percepção de si como do outro e, assim, entendemos o corpo como uma unidade que compreende também a mente e o coração. Micheline Flak nos diz: “A sensorialidade também tem um importante papel no Yoga. Ora, é pela sensorialidade que o mental se constrói".
Numa entrevista dada à revista Santé Yoga* Micheline nos fala da importância de aprender com todo o corpo e o quanto é essencial movimentar-se, pois isso é viver. Ao finalizar a entrevista, acredito que ela resume as idéias e o trabalho que envolve Yoga e Educação quando afirma:
            "Tomar consciência de seu corpo, de suas sensações, de suas emoções, é despertar a criança para o mundo interior, permitir que ela desenvolva sua criatividade e, talvez permitir que ela acesse algo de ordem espiritual" 
              * Artigo de Laurence Pinsard na Revista Santé Yoga no 102, janeiro 2010

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário